Mercado

Como funcionam os pneus run flat

Conheça a durabilidade e as vantagens deste modelo.

 

Quando um pneu run flat fura, o motorista não precisa parar imediatamente para substituí-lo pelo estepe. O item, que pesa de 2 a 4 kg a mais do que uma opção comum, permite que o carro rode até 80 quilômetros, a uma velocidade máxima de 80 km/h, mesmo com furos e rasgos. Tudo isso, sem danificar a integridade da roda.

Segundo a Delinte Pneus, a maior conservação do pneu em casos de perfuração acontece porque as paredes laterais do run flat possuem flancos, ombros e talões mais reforçados do que um pneu comum. Isso faz com que o peso do carro fique apoiado nessa estrutura reforçada, para poupar o contato direto da roda com a banda de rodagem.

A durabilidade do produto é um pouco menor (varia entre 19% e 31% dos modelos convencionais) de acordo com a função do pneu, tipo de condução, terreno e condições do carro.

Porém, a maioria dos automóveis de luxo possui um sistema de monitoramento da pressão dos pneus, que indica temperatura e nível de pressão de enchimento. Com isso, é possível analisar rapidamente se estão dentro dos parâmetros de uso ou se necessitam de revisão, o que evita o uso indevido prolongado e aumenta a vida útil do produto.

Por enquanto, os pneus run flat são limitados a automóveis premium, como BMW, Mercedes-Benz, Audi e Porsche. Entretanto, como toda nova tecnologia, a expectativa é de que logo eles comecem a aparecer em modelos de categorias inferiores.

 

Leia também: Pneus sem ar e à prova de furos chegam a carros da GM

 

Leia também: Você conhece pneu de arroz, de soja?

 

Fonte: Primeira Página com informações do site Garagem 360.

Redes Sociais