Mercado

Dicas que vão ajudar a economizar os pneus do carro

Dicas que vão ajudar a economizar os pneus do carro

Calibragem semanal, rodízio periódico e direção prudente são alguns dos hábitos que ajudam a prolongar a vida útil dos pneus.

 

Os pneus são componentes cruciais para o bom comportamento dinâmico do veículo. Apesar disso, muitas vezes são negligenciados por motoristas pouco atenciosos. Mas, vale a pena tomar alguns cuidados para poupá-los. Além de prolongar a vida útil dessas peças e economizar um bom dinheiro, você pode reduzir o consumo de combustível do carro.

Antes de mais nada, é importante escolher os pneus corretos. Respeite as medidas de pneus e rodas especificadas pela fabricante do seu carro. Usar peças diferentes daquelas com que o veículo foi projetado para rodar certamente afetará as condições de direção.

Atenha-se ao limite de carga preconizado pela montadora. Com o carro sobrecarregado, o peso extra pode comprometer a estrutura do pneu, provocar danos e abreviar sua durabilidade. Além, é claro, de elevar o consumo de combustível.

Não esqueça da calibragem e do rodízio

O principal cuidado rotineiro com os pneus é não descuidar da calibragem. Pressão de ar insuficiente provoca o desgaste irregular e prejudica a dirigibilidade do veículo. Em situações extremas, você pode até perder o controle e se expor ao risco de acidentes. E nem sempre um pneu com baixa pressão fica visivelmente murcho.

Por isso, calibre os pneus com frequência. O ideal seria uma vez por semana, mas duas vezes por mês já basta para evitar maiores perigos. Siga as orientações contidas no manual do proprietário. Em muitos modelos, o valor correto de pressão também é informado em uma etiqueta afixada perto do batente da porta do motorista. Faça a calibragem com o pneu ainda morno: rode apenas o suficiente da garagem ao posto.

Outra operação que deve ser feita com regularidade é o rodízio dos pneus. Ele deve ser feito, no máximo, a cada 8 mil km ou seis meses – novamente, o manual do veículo contém orientações a respeito. Isso inclusive colabora para que as peças tenham um desgaste mais uniforme.

Na hora de substitui-los, aliás, o correto é trocar os quatro pneus de uma vez. Isso garante melhor dirigibilidade. Se isso não for viável financeiramente, compre pelo menos dois pneus novos. Instale-os sempre no mesmo eixo e dê preferência ao traseiro. Isso porque pneus gastos aumentam o risco de perda de aderência na traseira, com possíveis derrapagens em curvas, especialmente com pista molhada.

Alinhamento da direção e balanceamento de rodas a cada 10 mil km também previnem contra o desgaste irregular. A direção está vibrando ou “puxando” o carro para um dos lados? As rodas sofreram impactos – por exemplo, ao passar sobre guias ou buracos? Tudo isso é sinal de alerta.

Bons hábitos ao volante também poupam os pneus

A direção segura e consciente é outro ponto importantíssimo. Quem guia com prudência e não exagera na velocidade está menos sujeito a freadas bruscas e outras manobras agressivas. E não arranca com o carro “cantando” pneu, é claro. Tudo isso evita atrito da borracha dos pneus com o solo.

Outros cuidados incluem atenção a buracos, lombadas e quebra-molas e cautela redobrada em dias de chuva. Nessa situação, aliás, é ainda mais importante que os pneus não estejam desgastados além do limite, pois pneus carecas facilitam a perda de aderência, acarretando aquaplanagem.

E na hora da baliza, muita calma. Isso evita raspar as rodas no meio-fio, o que pode render rasgos e furos nos pneus.

 

Leia também: Donos de borracharias e oficinas comemoraram aumento da demanda

Leia também: Continental lança pneu para autocarros elétricos

 

Fonte: Primeira Página, com informações do Jornal do Carro/ Estadão.

Redes Sociais